quarta-feira, 6 de junho de 2018

Património Emocional, A Anilha

   O património também pode ser algo pessoal e emocional que queremos perpetuar nas nossas memórias, que nos lembra pessoas e situações. A Inês Geraldo do 9ºD passou-nos a história desta anilha que pertenceu ao seu avô. Partilhou connosco um pouco da sua história familiar.

Desenho a lápiz da anilha do avô, realizada nas aulas de E:V


Colagem realizada nas aulas de E.V. Contextualização que conta mais que uma história



Uma anilha, uma simples, apenas um pedaço de metal fundido. Como é que este objeto pode transportar tantas memórias e tanta emoção?
   Aquele pequeno, mas nem por isso menos importante objeto, transporta-me até ao passado como se fosse um portal do tempo. Lembra-me daquelas tardes ternurentas Passadas na casa da minha avó materna. Uma casa cheia de objetos antigos, cada um diferente e cada um com significado. Tardes essas, sempre passadas a brincar no piano, a dormir a sesta, a comer as iguarias da minha avó e até ir à loja dos ovos moles ao lado da casa.
   Lembro-me também das brincadeiras de infância como o meu irmão ou as inúmeras conversas de família contando histórias e peripécias do passado.
  Aquele objeto era que passou de mão em mão era do meu avô, um homem doce e brincalhão.
Ele foi chefe dos escuteiros e aquela era a sua anilha. Remete-me para os meus acampamentos recheados de histórias por contar...como quando eu me perdi, apenas com seis anos, quando fomos apanhar gambuzinos ou quando fomos perseguidos por um javali. Lembra-me também das minhas promessas todas feitas com esta anilha.
   Apenas um objetomas milhões de emoções.

Texto de Inês Geraldo, do 9ºD (escrito nas aulas de Português)

Sem comentários:

Enviar um comentário